em 


Opções Avançadas

Vida & Obra

 

Livros do Autor



A FLECHA DE OURO

Joseph Conrad
Tradução de Marques Rebello

Coleção L&PM Pocket
Ref. 243
304 páginas
ISBN 978.85.245.1073-3

R$ 20,90



A LINHA DE SOMBRA

Joseph Conrad
Tradução e glossário de Guilherme da Silva Braga

Coleção L&PM Pocket
Ref. 887
144 páginas
ISBN 978.85.254.2016-9
Também em e-book

R$ 16,90



A LINHA DE SOMBRA

Joseph Conrad
Tradução e glossário de Guilherme da Silva Braga

Coleção L&PM E-books
Formato ePub
144 páginas
ISBN 978.85.254.2118-0

R$ 11,90



DUELISTAS, OS

Joseph Conrad
Tradução de André de Godoy Vieira

Coleção L&PM Pocket
Ref. 705
144 páginas
ISBN 978.85.254.1787-9

R$ 16,90



JUVENTUDE

Joseph Conrad
Tradução de Flávio Moreira da Costa

Coleção L&PM Pocket
Ref. 445
80 páginas
ISBN 978.85.254.1416-8

R$ 13,90

Veja Mais

Joseph Conrad

Nasceu Józef Teodor Konrad Nalecz Korzeniowski, filho de pais poloneses, na cidade de Berdichev, na Ucrânia dominada pela Rússia czarista. Seus pais eram nacionalistas poloneses e, por causa de suas atividades políticas anti-russos, foram exilados para a remota província de Vologda, ao norte. Joseph, então com quatro anos, os acompanhou. Aos onze anos de idade, ficou órfão de pai e mãe. Seu tio materno Thaddeus Bobrowski tomou conta do sobrinho e foi seu mentor e res­ponsável durante os 25 anos seguintes. Thaddeus queria que Joseph seguisse carreira universitária, mas em 1874, quando o rapaz tinha dezesseis anos, finalmente cedeu e concordou em deixá-lo seguir seu antigo desejo de viver no mar. Joseph viajou a Marselha, onde trabalhou em navios da marinha mercante francesa até juntar-se, em 1878, a um navio britânico, como aprendiz.

Ficaria na marinha por quase vinte anos, vi­si­tando os mais variados lugares da Ásia, da África, da América e da Europa – experiência que seria definidora da literatura do autor, além de fornecer vasto material para suas histórias. Em 1886, obteve a cidadania britânica. Oito anos depois, em 1894, ele abandonou o mar e uma car­reira bem-sucedida (chegara à posição de capitão-de-longo-curso) para se dedicar à literatura. Seu primeiro livro, Almayer’s folly (A loucura de Almayer), cuja redação fora iniciada em 1889, foi publicado em 1895, quando o autor contava já 38 anos (tam­bém dessa época data o casamento de Joseph com Jessie George). O livro foi recebido com entu­sias­mo pela crítica e friamente pelo público. Levaria cerca de quinze anos para que a carreira literária de Conrad decolasse.

Ele escreveu, ao todo, dezessete romances, sendo os principais Lord Jim, de 1900, Nostromo,de 1904, The secret agent (O agente secreto), de 1907, e Under western eyes (Sob os olhos do ocidente), de 1911; sete novelas, entre as quais se destaca The heart of the darkness (O coração das trevas, L&PM POCKET), de 1902. Publicou ainda livros de en­saios (The mirror of the sea ou O espelho do mar, de 1906), de memórias (Some reminicences ou Algumas reminiscências, de 1912, e A personal record ou Um registro pessoal, de 1912) e textos sobre a própria obra (Notes on my books ou Notas sobre meus livros), de 1921. Muitas dessas peças ficcio­nais foram primeiramente publicadas em for­ma­to de folhetim em periódicos como Blackwood’s Edinburgh Magazine, seguindo uma prática comum na época.

Conrad é hoje considerado um dos grandes autores da língua inglesa – que ele aprendeu depois de adulto, apesar de ter com ela tido os primeiros contatos ainda quando criança, ao ver seu pai traduzir Shakespeare, entre outros autores.

Seus textos ficcionais têm em comum o tema do conflito do homem contra o próprio homem, dos limites da natureza humana e do con­fronto do homem frente à natureza selvagem. Seus ro­man­­ces, contos e novelas são povoados por per­­so­­na­­gens em situações extremas, iso­la­dos da so­cie­­dade, muitas vezes em crise com a própria identidade e com a condição de ser hu­ma­no. A maio­ria de suas peças ficcionais se asse­me­lham, na aparência, a histórias de aven­turas, apesar de proporem uma profunda reflexão sobre a natureza humana e a civilização. Conrad de­­clarava serem Shakespeare, Walter Scott e Flaubert alguns de seus autores favoritos.

O coração das trevas foi adaptado para o cinema por Francis Ford Coppola, em Apocalipse now, em 1979, em plena Guerra do Vietnã, com enorme sucesso de público e crítica. Conrad morreu em 1924, deixando seu último romance, Suspense, inacabado. A Coleção L&PM POCKET publicou os seus romances Coração das trevas, Flecha de ouro, Juventude e Tufão)

Vídeos Relacionados

Opinião do Leitor

Deixe seu depoimento sobre o autor

voltar ir para o topo   imprimir página
 

Home    Quem Somos    Notícias    Mapa do Site    Fale Conosco    Podcast L&PM

Rua Comendador Coruja, 314 - Fone: (51) 3225.5777 - Fax: (51) 3221.5380 - Porto Alegre/RS - CEP 90220-180
Alameda Santos, 1470, cj 310 - Cerqueira César - Fone: (11) 3578.6606 - São Paulo/SP - CEP 01418-903

© 2003-2017 Publibook Livros e Papeis Ltda. - CNPJ 87.932.463/0001-70 - Powered by CIS Manager   Desenvolvido por Construtiva