Coleção L&PM Pocket


MAIGRET E O MATADOR (INÉDITO)

MAIGRET ET LE TUEUR

Georges Simenon

Tradução de Paulo Neves

Fora de catálogo

Um jovem estudante, que frequenta bares de segunda categoria e tem paixão por gravar as conversas que mantém, é assassinado. Através de uma ligação, um anônimo alega ser o responsável pelo assassinato. Maigret tenta fazer contato para persuadir a pessoa a se entregar. Então, o inspetor descobre que tem um assassino patológico em suas mãos.


Leia um trecho do livro

Pela primeira vez desde que adquiriram o hábito de jantar todos os meses na casa dos Pardon, Maigret haveria de guardar daquele encontro no Boulevard Voltaire uma lembrança quase penosa.

Tudo começou no Boulevard Richard-Lenoir. Sua mulher chamou um táxi por telefone, pois chovia há três dias, como, segundo o rádio, não se via nos últimos 35 anos. Chuva com rajadas de vento, gelada, das que fustigam o rosto e as mãos, colando as roupas molhadas no corpo.

Nas escadas, nos elevadores, nos escritórios, os passos deixavam manchas escuras, e o humor das pessoas era execrável.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    MAIGRET E O MATADOR (INÉDITO)

  • Título Original:
    MAIGRET ET LE TUEUR
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance policial
  • Série:
    Simenon
  • Referência:
    851
  • Cód.Barras:
    9788525419934
  • ISBN:
    978.85.254.1993-4
  • Páginas:
    176
  • Edição:
    03/2010

Vida & Obra

Georges Simenon

Nas primeira horas da sexta-feira dia 13 de fevereiro de 1903, nasce em Liège, na Bélgica, Georges Joseph Christian Simenon, filho do contador Desiré Simenon e Henriette. Supersticiosos, os pais registram o primogênito como nascido às 23 horas e 30 minutos do dia 12. Em 1906, nasce Christian, único irmão de Georges, que desempenhará um papel crucial nas relações da família: torna-se o preferido de Henriette, que relegará Georges a um segundo plano.

Ler mais

Opinião do Leitor

Dandara Machado
Santa Maria RS

Ótimo livro. Maigret é um policial sensível aos dramas das pessoas com quem esbarra em suas investigações e analisa todos os detalhes que tem em mãos, antes de chegar a uma conclusão definitiva sobre os casos. Não consegui largar esse livro antes de terminar de lê-lo, o final é bem diferente do que se imagina à princípio.

01/02/2012

Você também pode gostar


Um jovem estudante, que frequenta bares de segunda categoria e tem paixão por gravar as conversas que mantém, é assassinado. Através de uma ligação, um anônimo alega ser o responsável pelo assassinato. Maigret tenta fazer contato para persuadir a pessoa a se entregar. Então, o inspetor descobre que tem um assassino patológico em suas mãos.


Leia um trecho do livro

Pela primeira vez desde que adquiriram o hábito de jantar todos os meses na casa dos Pardon, Maigret haveria de guardar daquele encontro no Boulevard Voltaire uma lembrança quase penosa.

Tudo começou no Boulevard Richard-Lenoir. Sua mulher chamou um táxi por telefone, pois chovia há três dias, como, segundo o rádio, não se via nos últimos 35 anos. Chuva com rajadas de vento, gelada, das que fustigam o rosto e as mãos, colando as roupas molhadas no corpo.

Nas escadas, nos elevadores, nos escritórios, os passos deixavam manchas escuras, e o humor das pessoas era execrável.

" />