Outros Formatos


MISTO-QUENTE

HAM ON RYE

Charles Bukowski

Tradução de Pedro Gonzaga

Quem não leu Misto-quente não leu Bukowski

O que pode ser pior do que crescer nos Estados Unidos da recessão pós-1929? Ser pobre, de origem alemã, ter muitas espinhas, um pai autoritário beirando a psicopatia, uma mãe passiva e ignorante, nenhuma namorada e, pela frente, apenas a perspectiva de servir de mão de obra barata em um mundo cada vez menos propício às pessoas sensíveis e problemáticas. Esta é a história de Henry Chinaski, o protagonista deste romance que é sem dúvida uma das obras mais comoventes e mais lidas de Charles Bukowski (1920-1994).

Verdadeiro romance de formação com toques autobiográficos, Misto-quente (publicado originalmente em 1982) cativa o leitor pela sinceridade e aparente simplicidade com que a história é contada. Estão presentes a ânsia pela dignidade, a busca vã pela verdade e pela liberdade, trabalhadas de tal forma que fazem deste livro um dos melhores romances norte-americanos da segunda metade do século XX.

Misto-quente, quarto romance dos seis que Bukowski  escreveu, lançado quando ele já estava com mais de sessenta anos, ilumina toda a sua obra. Pode-se dizer: quem não leu Misto-quente, não leu Bukowski.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    MISTO-QUENTE

  • Título Original:
    HAM ON RYE
  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Literatura moderna internacional
    Ficção estrangeira
  • Série:
    Clássicos Modernos
  • Cód.Barras:
    9788525437679
  • ISBN:
    978.85.254.3767-9
  • Páginas:
    288
  • Edição:
    junho de 2018

Vida & Obra

Charles Bukowski

Nasceu em Andernach, na Alemanha, a 16 de agosto de 1920, filho de um soldado americano e de uma jovem alemã. Aos três anos de idade, foi levado aos Estados Unidos pelos pais. Criou-se em meio à pobreza de Los Angeles, cidade onde morou por cinqüenta anos, escrevendo e embriagando-se. Publicou seu primeiro conto em 1944, aos 24 anos de idade. Só aos 35 anos é que começou a publicar poesias. Foi internado diversas vezes com crises de ...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Quem não leu Misto-quente não leu Bukowski

O que pode ser pior do que crescer nos Estados Unidos da recessão pós-1929? Ser pobre, de origem alemã, ter muitas espinhas, um pai autoritário beirando a psicopatia, uma mãe passiva e ignorante, nenhuma namorada e, pela frente, apenas a perspectiva de servir de mão de obra barata em um mundo cada vez menos propício às pessoas sensíveis e problemáticas. Esta é a história de Henry Chinaski, o protagonista deste romance que é sem dúvida uma das obras mais comoventes e mais lidas de Charles Bukowski (1920-1994).

Verdadeiro romance de formação com toques autobiográficos, Misto-quente (publicado originalmente em 1982) cativa o leitor pela sinceridade e aparente simplicidade com que a história é contada. Estão presentes a ânsia pela dignidade, a busca vã pela verdade e pela liberdade, trabalhadas de tal forma que fazem deste livro um dos melhores romances norte-americanos da segunda metade do século XX.

Misto-quente, quarto romance dos seis que Bukowski  escreveu, lançado quando ele já estava com mais de sessenta anos, ilumina toda a sua obra. Pode-se dizer: quem não leu Misto-quente, não leu Bukowski.

" />