Coleção L&PM Pocket


RELATIVIDADE

RELATIVITY

Russell Stannard

Tradução de Iuri Abreu

R$21,90

"Se os astronautas fossem capazes de voar muito próximo à velocidade da luz, quase não envelheceriam e, de fato, viveriam para sempre."

A revolucionária teoria da relatividade pode ser, num primeiro momento, intimidante para o leigo. Este livro, porém, introduz o assunto de forma acessível, mantendo o rigor científico sem o peso de complexas equações matemáticas. Russell Stannard, professor de física e autor e obras traduzidas em mais de vinte idiomas, apresenta alguns dos fatos extraordinários da mais célebre descoberta de Einstein. O autor discorre sobre as conclusões da teoria, como o paradoxo dos gêmeos e a contração do espaço e do tempo, e mostra como a relatividade se aplica a tópicos tão variados quanto buracos negros e GPS. Este volume comprova que, em termos de relatividade, não há nada a temer; pelo contrário, há muito com o que se encantar.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    RELATIVIDADE

  • Título Original:
    RELATIVITY
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Não ficção
    Ciência
  • Série:
    Encyclopaedia
  • Referência:
    991
  • Cód.Barras:
    9788525425614
  • ISBN:
    978.85.254.2561-4
  • Páginas:
    128
  • Edição:
    janeiro de 2012

Vida & Obra

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


A revolucionária teoria da relatividade pode ser, num primeiro momento, intimidante para o leigo. Este livro, porém, introduz o assunto de forma acessível, mantendo o rigor científico sem o peso de complexas equações matemáticas. Russell Stannard, professor de física e autor e obras traduzidas em mais de vinte idiomas, apresenta alguns dos fatos extraordinários da mais célebre descoberta de Einstein. O autor discorre sobre as conclusões da teoria, como o paradoxo dos gêmeos e a contração do espaço e do tempo, e mostra como a relatividade se aplica a tópicos tão variados quanto buracos negros e GPS. Este volume comprova que, em termos de relatividade, não há nada a temer; pelo contrário, há muito com o que se encantar.

" />