Coleção L&PM Pocket


CONHECE O MÁRIO? - Santiago

CONHECE O MÁRIO?

R$19,90

É o próprio Santiago quem confessa: “Conhece o Mário? é puro exercício de sacanagem e de tiração de sarro”. Mas da melhor qualidade. A versatilidade do cartunista em jogar com o duplo sentido das palavras e com os cacófatos resulta em alguns dos mais improváveis e engraçados termos do “bagacerês” gaúcho e universal. O famoso jogo da empulha, conhecido na cultura popular como pegadinha, dá origem a sacadas rápidas e divertidas, perspicazmente ilustradas por Santiago.

Seguindo o formato de manual, o autor opta por começar pelo básico e fundamental: “– Conhece o Mário?/ – Qual é o Mário?/ – Aquele que te agarrou atrás do armário!”. Santiago segue destilando veneno em diversas categorias, separando as sacadas em “as de nomes próprios”, “as do tempo”, “as de bichos”, “as de comidas & bebidas” e assim por diante. Para os iniciantes, o cartunista fornece ainda contravenenos para sair dessas situações, embaraçosas para uns e hilárias para outros.

O aprendizado do autor ocorreu, inicialmente, na fazenda de um tio, onde um peão de nome Érico era campeão da resposta rápida e certeira e vivia colocando todos “contra a parede” (expressão, segundo o livro, perigosa de ser usada). Santiago se baseou na memória dos tempos da campanha gaúcha para compor algumas das empulhações, mas também contou com contribuições preciosas de amigos e conhecidos. O prefácio é do psicanalista Mário Corso, que esclarece: “Ser homem no interior é saber tirar sarro com a cara do outro sempre que possível, e é também saber rebater uma empulha. Portanto, pelo menos aqui nos pagos, a empulha é estágio pra ser homem, faz parte dos ritos de iniciação do macho gaudério.”

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    CONHECE O MÁRIO?

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Humor
  • Referência:
    553
  • Cód.Barras:
    9788525416162
  • ISBN:
    978.85.254.1616-2
  • Páginas:
    112
  • Edição:
    setembro de 2006

Vida & Obra

Santiago

Neltair Rebés Abreu (Santiago) nasceu em Santiago do Boqueirão, no estado do Rio Grande do Sul, em 14 de setembro de 1950. Começou a desenhar antes mesmo de começar a estudar. Iniciou-se na arte da caricatura retratando humoristicamente os professores dos tempos de escola. Ainda em sua cidade, caricaturou prefeitos, vereadores e figuras locais.

Concluído o curso secundário em 1970, mudou-se para Porto Alegre em busca de trabalho e aprimoramento nos ...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


É o próprio Santiago quem confessa: “Conhece o Mário? é puro exercício de sacanagem e de tiração de sarro”. Mas da melhor qualidade. A versatilidade do cartunista em jogar com o duplo sentido das palavras e com os cacófatos resulta em alguns dos mais improváveis e engraçados termos do “bagacerês” gaúcho e universal. O famoso jogo da empulha, conhecido na cultura popular como pegadinha, dá origem a sacadas rápidas e divertidas, perspicazmente ilustradas por Santiago.

Seguindo o formato de manual, o autor opta por começar pelo básico e fundamental: “– Conhece o Mário?/ – Qual é o Mário?/ – Aquele que te agarrou atrás do armário!”. Santiago segue destilando veneno em diversas categorias, separando as sacadas em “as de nomes próprios”, “as do tempo”, “as de bichos”, “as de comidas & bebidas” e assim por diante. Para os iniciantes, o cartunista fornece ainda contravenenos para sair dessas situações, embaraçosas para uns e hilárias para outros.

O aprendizado do autor ocorreu, inicialmente, na fazenda de um tio, onde um peão de nome Érico era campeão da resposta rápida e certeira e vivia colocando todos “contra a parede” (expressão, segundo o livro, perigosa de ser usada). Santiago se baseou na memória dos tempos da campanha gaúcha para compor algumas das empulhações, mas também contou com contribuições preciosas de amigos e conhecidos. O prefácio é do psicanalista Mário Corso, que esclarece: “Ser homem no interior é saber tirar sarro com a cara do outro sempre que possível, e é também saber rebater uma empulha. Portanto, pelo menos aqui nos pagos, a empulha é estágio pra ser homem, faz parte dos ritos de iniciação do macho gaudério.”

" />