Coleção L&PM E-books


O 18 DE BRUMÁRIO DE LUÍS BONAPARTE

DER ACHTZEHNTE BRUMAIRE DES LOUIS BONAPARTE

Karl Marx

Tradução de Renato Zwick

A história como tragédia e farsa

“Hegel observa em algum lugar que todos os grandes fatos e pessoas da história mundial acontecem, por assim dizer, duas vezes. Ele esqueceu de acrescentar: uma vez como tragédia, a outra como farsa.” - (Trecho do capítulo I)

Em 9 de novembro de 1799, o processo revolucionário – em curso na França desde 1789 – foi interrompido por Napoleão Bonaparte com um golpe de Estado que ficou conhecido como 18 de brumário. Cerca de cinquenta anos depois, em dezembro de 1851, seu sobrinho, Luís Bonaparte, presidente eleito da França, repetiu o feito e deu um autogolpe, dissolvendo o Parlamento.

Neste texto primoroso, de título irônico, escrito entre o final de 1851 e março de 1852 (após a publicação de Manifesto do Partido Comunista, de 1848), o pensador Karl Marx (1818-1883) observa e analisa os movimentos da política enquanto estes se desenrolam. Tratando os acontecimentos, as disputas e suas consequências sob sua concepção materialista da história, criou um dos grandes clássicos das ciências huma¬nas, estudado e reverenciado no mundo todo. Uma obra que, quase dois séculos após os fatos narrados, permanece atual devido à argúcia com que analisa as forças políticas de uma sociedade em convulsão.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    O 18 DE BRUMÁRIO DE LUÍS BONAPARTE

  • Título Original:
    DER ACHTZEHNTE BRUMAIRE DES LOUIS BONAPARTE
  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    História
    Não ficção
  • eISBN:
    978-65-5666-070-7
  • Edição:
    junho de 2020

Vida & Obra

Karl Marx

Karl Marx (Trier, 5 de maio de 1818 - Londres, 14 de março de 1883) nasceu em uma família de classe média em Trier, às margens do rio Mosela, na Alemanha. Descendia de uma longa linhagem de rabinos, tanto da parte materna quanto paterna, e seu pai, embora fosse intelectualmente um racionalista de formação tipicamente iluminista, que conhecia Voltaire e Lessing de cor, só concordara em ser batizado como protestante para não se ver privado de seu trabalho como um dos mais con...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


A história como tragédia e farsa

“Hegel observa em algum lugar que todos os grandes fatos e pessoas da história mundial acontecem, por assim dizer, duas vezes. Ele esqueceu de acrescentar: uma vez como tragédia, a outra como farsa.” - (Trecho do capítulo I)

Em 9 de novembro de 1799, o processo revolucionário – em curso na França desde 1789 – foi interrompido por Napoleão Bonaparte com um golpe de Estado que ficou conhecido como 18 de brumário. Cerca de cinquenta anos depois, em dezembro de 1851, seu sobrinho, Luís Bonaparte, presidente eleito da França, repetiu o feito e deu um autogolpe, dissolvendo o Parlamento.

Neste texto primoroso, de título irônico, escrito entre o final de 1851 e março de 1852 (após a publicação de Manifesto do Partido Comunista, de 1848), o pensador Karl Marx (1818-1883) observa e analisa os movimentos da política enquanto estes se desenrolam. Tratando os acontecimentos, as disputas e suas consequências sob sua concepção materialista da história, criou um dos grandes clássicos das ciências huma¬nas, estudado e reverenciado no mundo todo. Uma obra que, quase dois séculos após os fatos narrados, permanece atual devido à argúcia com que analisa as forças políticas de uma sociedade em convulsão.

" />