Coleção L&PM Pocket


MAIGRET E O CORPO SEM CABEÇA (INÉDITO)

MAIGRET ET LE CORPS SANS TÊTE

Georges Simenon

Tradução de Julia da Rosa Simões

Fora de catálogo

Após terem obstruído o propulsor de um barco, várias partes do corpo de um homem são retiradas das águas do canal de Saint-Martin, em Paris, mas a cabeça está faltando. Maigret segue com suas investigações pelos arredores de um pequeno bistrô, frequentado por marinheiros e estivadores, no cais em Valmy. O dono do bistrô desapareceu. O cadáver sem cabeça é finalmente identificado por uma cicatriz. Prova-se ser do dono do bistrô, Omer Callas, e a suspeita recai sobre sua esposa e seu amante, o qual teve uma discussão violenta com Callas a respeito de uma herança.

Leia um trecho do livro

O céu mal começava a se colorir quando Jules, o mais velhos dos irmãos Naud, surgiu no convés da barca, primeiro a cabeça, depois os ombros, por fim o grande corpo desengonçado. Coçando os cabelos cor de linho ainda não penteados, ele olhou para as comportas, para o cais de Jemmapes à esquerda, o cais de Valmy à direita, e alguns minutos se passaram, o tempo de enrolar um cigarro e fumá-lo no frescor da manhã, antes que uma lâmpada se acendesse no barzinho da esquina da rua Récollets.

Devido ao início do dia, a fachada parecia de um amarelo mais áspero que de costume. Popaul, o proprietário, sem colarinho e também desgrenhado, foi até a calçada para abrir as persianas.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    MAIGRET E O CORPO SEM CABEÇA (INÉDITO)

  • Título Original:
    MAIGRET ET LE CORPS SANS TÊTE
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Policial
  • Série:
    Simenon
  • Referência:
    847
  • Cód.Barras:
    9788525419941
  • ISBN:
    978.85.254.1994-1
  • Páginas:
    176
  • Edição:
    março de 2010

Vida & Obra

Georges Simenon

Nas primeira horas da sexta-feira dia 13 de fevereiro de 1903, nasce em Liège, na Bélgica, Georges Joseph Christian Simenon, filho do contador Desiré Simenon e Henriette. Supersticiosos, os pais registram o primogênito como nascido às 23 horas e 30 minutos do dia 12. Em 1906, nasce Christian, único irmão de Georges, que desempenhará um papel crucial nas relações da família: torna-se o preferido de Henriette, que relegará Georges a um segundo plano.

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Após terem obstruído o propulsor de um barco, várias partes do corpo de um homem são retiradas das águas do canal de Saint-Martin, em Paris, mas a cabeça está faltando. Maigret segue com suas investigações pelos arredores de um pequeno bistrô, frequentado por marinheiros e estivadores, no cais em Valmy. O dono do bistrô desapareceu. O cadáver sem cabeça é finalmente identificado por uma cicatriz. Prova-se ser do dono do bistrô, Omer Callas, e a suspeita recai sobre sua esposa e seu amante, o qual teve uma discussão violenta com Callas a respeito de uma herança.

Leia um trecho do livro

O céu mal começava a se colorir quando Jules, o mais velhos dos irmãos Naud, surgiu no convés da barca, primeiro a cabeça, depois os ombros, por fim o grande corpo desengonçado. Coçando os cabelos cor de linho ainda não penteados, ele olhou para as comportas, para o cais de Jemmapes à esquerda, o cais de Valmy à direita, e alguns minutos se passaram, o tempo de enrolar um cigarro e fumá-lo no frescor da manhã, antes que uma lâmpada se acendesse no barzinho da esquina da rua Récollets.

Devido ao início do dia, a fachada parecia de um amarelo mais áspero que de costume. Popaul, o proprietário, sem colarinho e também desgrenhado, foi até a calçada para abrir as persianas.

" />