Coleção L&PM Pocket


CREPUSCULÁRIO (BILÍNGUE)

Pablo Neruda

Tradução de José Eduardo Degrazia

R$23,90

PRÊMIO NOBEL 1971
EDIÇÃO BILÍNGUE

Crepusculário é o primeiro livro de poesia escrito por Pablo Neruda, até agora inédito no Brasil. Contendo poemas criados entre os dezesseis e os dezenove anos do poeta, foi originalmente publicado em 1923. A partir do título, remete a um clima espiritual: a poesia pós-simbolista do começo do século, em que a preocupação temática e métrica propiciava a criação de um espaço dolente, musical e melancólico – o da lenta e demorada nostalgia do mundo afetivo, das lembranças e dos sonhos.

Porém, o livro não é um tributo à sua época, mas, sobretudo, a revelação de uma já impressionante maestria verbal. Nas páginas de Crepusculário encontramos todo o germe da poética de Neruda. A natureza e a visão cósmica, o amor, a mulher e a preocupação social.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    CREPUSCULÁRIO (BILÍNGUE)

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Poesia
    Literatura moderna internacional Poesia
  • Série:
    Pablo Neruda
  • Referência:
    365
  • Cód.Barras:
    9788525413314
  • ISBN:
    978.85.254.1331-4
  • Páginas:
    176
  • Edição:
    maio de 2004

Vida & Obra

Pablo Neruda

Ricardo Neftalí Reyes Basoalto nasceu na cidade chilena de Parral, em 12 de julho de 1904. Sua mãe era professora e morreu logo após o nascimento do filho. Seu pai, que era funcionário de ferrovia, mudou-se, alguns anos mais tarde, para a cidade de Temuco onde se casou novamente com Trinidad Candia Malverde. Ricardo passou a infân­cia perto de florestas, em meio à natureza virgem, o que marcaria para sempre seu imaginário, refletindo-se na sua obra literária.

Em Temuco,...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Crepusculário é o primeiro livro de poesia escrito por Pablo Neruda, até agora inédito no Brasil. Contendo poemas criados entre os dezesseis e os dezenove anos do poeta, foi originalmente publicado em 1923. A partir do título, remete a um clima espiritual: a poesia pós-simbolista do começo do século, em que a preocupação temática e métrica propiciava a criação de um espaço dolente, musical e melancólico – o da lenta e demorada nostalgia do mundo afetivo, das lembranças e dos sonhos.

Porém, o livro não é um tributo à sua época, mas, sobretudo, a revelação de uma já impressionante maestria verbal. Nas páginas de Crepusculário encontramos todo o germe da poética de Neruda. A natureza e a visão cósmica, o amor, a mulher e a preocupação social.

" />