Coleção L&PM E-books


POESIAS INÉDITAS E POEMAS DRAMÁTICOS - Fernando Pessoa
Organização, introdução e notas de Jane Tutikian

POESIAS INÉDITAS E POEMAS DRAMÁTICOS

Fernando Pessoa
Organização, introdução e notas de Jane Tutikian

Os deuses são felizes.
Vivem a vida calma das raízes.
Seus desejos o Fado não oprime.
Ou, oprimindo, redime
Com a vida imortal.
Não há
Sombras ou outros que os contristem.
E, além disto, não existem...
(10/7/1920)

Fernando Pessoa nasceu em 1888, em Lisboa. Inventou vários heterônimos –   personagens com vidas, personalidades e estilos de escrita próprios – e sob o nome deles escreveu grande parte de sua obra poética. É autor de alguns dos mais belos versos da língua portuguesa, além de nome-chave da poesia moderna. Morreu em 1935, deixando uma arca repleta de papéis, com milhares de obras inéditas e anotações. Com base nesta arca foi organizada, a partir dos anos 50, sua poesia inédita, que o leitor ora tem em mãos, seguida de seus “poemas dramáticos” – parte menos conhecida, porém não menos interessante, da obra de Fernando Pessoa.

Organização, ensaio biobibliográfico, apresentação e notas de Jane Tutikian.
 

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    POESIAS INÉDITAS E POEMAS DRAMÁTICOS

  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Poesia
  • Série:
    Fernando Pessoa
  • eISBN:
    978.85.254.3211-7

Vida & Obra

Fernando Pessoa

Falar de Fernando Pessoa não é apenas falar do maior poeta de língua portuguesa do século XX, mas é, também, falar de uma personalidade extrema­­mente controvertida (como a de todo o gênio) e de uma obra vasta, afinal, Pessoa é vários poetas num só.

Filho de Joaquim de Seabra Pessoa, funcionário pú­blico e crítico musical, e de Maria Madalena Pinheiro Nogueira, Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasce em 13 de junho de 1888 na cidade de Lisboa, e sua...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Fernando Pessoa nasceu em 1888, em Lisboa. Inventou vários heterônimos –   personagens com vidas, personalidades e estilos de escrita próprios – e sob o nome deles escreveu grande parte de sua obra poética. É autor de alguns dos mais belos versos da língua portuguesa, além de nome-chave da poesia moderna. Morreu em 1935, deixando uma arca repleta de papéis, com milhares de obras inéditas e anotações. Com base nesta arca foi organizada, a partir dos anos 50, sua poesia inédita, que o leitor ora tem em mãos, seguida de seus “poemas dramáticos” – parte menos conhecida, porém não menos interessante, da obra de Fernando Pessoa.

Organização, ensaio biobibliográfico, apresentação e notas de Jane Tutikian.
 

" />