Coleção L&PM Pocket


POEMAS DE ÁLVARO DE CAMPOS

Fernando Pessoa
Organização, introdução e notas de Jane Tutikian

Em 8 de março de 1914, aos 25 anos de idade, o poeta português Fernando Pessoa teve um insight e, naquilo que ele chamaria mais tarde de "dia triunfal", criou seus três principais heterônimos: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Deu-lhes, além do nome, uma biografia, um biotipo e, sobretudo, uma obra e um estilo poético únicos. Trata-se do único caso de heteronímia de toda história da literatura universal.

Álvaro de Campos era, segundo Pessoa, "o mais histericamente histérico de mim"; era engenheiro, usava monóculo, e o poeta escrevia sob o seu nome quando sentia um súbito impulso de escrever não sei o quê." Campos é o heterônimo da modernidade, da euforia, da irreverência total a tudo e a todos, cultuador da liberdade, sedento por experimentar todas as sensações a um só tempo e profundamente influenciado por Walt Whitman. De sua lavra são os célebres versos de "Opiário", "Ode trinfual", "Lisbon revisited" e "Tabacaria" – este último considerado dos mais belos poemas da língua portuguesa.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    POEMAS DE ÁLVARO DE CAMPOS

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Poesia
  • Série:
    Fernando Pessoa
  • Referência:
    566
  • Cód.Barras:
    9788525415929
  • ISBN:
    978.85.254.1592-9
  • Páginas:
    336
  • Edição:
    novembro de 2006

Vida & Obra

Fernando Pessoa

Falar de Fernando Pessoa não é apenas falar do maior poeta de língua portuguesa do século XX, mas é, também, falar de uma personalidade extrema­­mente controvertida (como a de todo o gênio) e de uma obra vasta, afinal, Pessoa é vários poetas num só.

Filho de Joaquim de Seabra Pessoa, funcionário pú­blico e crítico musical, e de Maria Madalena Pinheiro Nogueira, Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasce em 13 de junho de 1888 na cidade de Lisboa, e sua...

Ler mais

Opinião do Leitor

Mateus / Bahia

Belíssima edição da L&PM, a organização está fantástica! Excelentes notas introdutórias, e uma capa maravilhosa. Esse livro é para colecionar. Comprem! Pessoa era e sempre será gênio!

17/04/2009 09:39:12

Você também pode gostar


Em 8 de março de 1914, aos 25 anos de idade, o poeta português Fernando Pessoa teve um insight e, naquilo que ele chamaria mais tarde de "dia triunfal", criou seus três principais heterônimos: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Deu-lhes, além do nome, uma biografia, um biotipo e, sobretudo, uma obra e um estilo poético únicos. Trata-se do único caso de heteronímia de toda história da literatura universal.

Álvaro de Campos era, segundo Pessoa, "o mais histericamente histérico de mim"; era engenheiro, usava monóculo, e o poeta escrevia sob o seu nome quando sentia um súbito impulso de escrever não sei o quê." Campos é o heterônimo da modernidade, da euforia, da irreverência total a tudo e a todos, cultuador da liberdade, sedento por experimentar todas as sensações a um só tempo e profundamente influenciado por Walt Whitman. De sua lavra são os célebres versos de "Opiário", "Ode trinfual", "Lisbon revisited" e "Tabacaria" – este último considerado dos mais belos poemas da língua portuguesa.

" />