Coleção L&PM Pocket


A vida de Leonel de Moura Brizola Coelho não é nada fácil. Além de suportar as brincadeiras por conta de seu nome, a ele faltam dinheiro, amor, conforto e trabalho. Não necessariamente nessa ordem. Pulando de biscate em biscate para sobreviver na periferia de Porto Alegre, ele tenta desesperadamente inventar novas formas de ganhar alguma grana. Até que ele se depara com uma reportagem de jornal que vai transformar a sua vida numa gozação só – e não no sentido figurado.

Com o estilo irreverente que a consagrou como uma das mais interessantes vozes da novíssima ficção brasileira, Claudia Tajes tece essa bem-humorada e inusitada narrativa, que gira em torno de se ganhar dinheiro doando sêmen, concretizar as próprias fantasias, ser feliz e outras improbabilidades da vida.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    VIDA DURA

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance
  • Referência:
    718
  • Cód.Barras:
    9788525417909
  • ISBN:
    978.85.254.1790-9
  • Páginas:
    168
  • Edição:
    agosto de 2008

Vida & Obra

Claudia Tajes

Claudia Tajes nasceu em Porto Alegre em 1963. Redatora publicitária, estreou na literatura com Dez (Quase) Amores (L&PM Editores, 2000). Seguiram-se As Pernas de Úrsula & Outras Possibilidades (L&PM Editores, 2001) e o romance Dores, Amores & Assemelhados (L&PM Editores, 2002), A vida sexual da mulher feia (2005), Louca por homem (L&PM 2011), Vida dura (L&PM POCKET, 2008) e Só as mulheres e a...

Ler mais

Opinião do Leitor

Silvane Alves dos Santos
Joinville - Santa Catarina

Pego o livro com alguma reticência, mas no fundo acredito na opinião daquela que me indicou. Reparo no título, leio comentários e, por fim, me rendo ao que parece ser um bom romance.
Já nas primeiras páginas percebo que estou diante de uma grande obra. Bem escrita, com arranjo textual diferenciado e uma boa pitada de humor. Continuo a leitura e percebo, então, o grande trocadilho presente já no título da obra.
“Vida dura”, de Claudia Tajes, é mais do que o retrato de um homem e sua história, então romanceada; é mais do que a vida sofrida e castigada de um homem, sem emprego, sem casa e sem qualquer perspectiva econômica/financeira. “Vida dura” é a vida levada ao extremo da gozação, no sentido literal da palavra. É a vida de Leonel de Moura Brizola Coelho, que tem no nome seu primeiro grande enfrentamento. Mas não é apenas isso. Para ele, faltam dinheiro, amor, conforto e trabalho (não necessariamente nessa ordem). Pulando de biscate em biscate para sobreviver na periferia de Porto Alegre, ele tenta desesperadamente inventar novas formas de ganhar alguma grana. Nada de ostentação, mas o suficiente para sair do sofá da Dona Tereza e poder conquistar o seu espaço.
Foi ao ler a reportagem de uma revista que Leonel descobre, então, uma possibilidade de mudar o seu (fracassado) destino e, é a partir desse dia em diante, que sua vida se torna dura de verdade. O trabalho parecia fácil, mas exigiu esforço e dedicação. No entanto, disposto a enfrentar as possíveis dificuldades que iriam surgir, Leonel aceitou o desafio e com a devida aprovação médica-científica, passou a integrar o banco de doadores de sêmen e, em troca, receber R$ 30 cada coleta.
Um negócio gozado, mas acima de tudo um negócio!
É assim, com estilo irreverente que a autora transforma esta história improvável em totalmente aceitável. História que, inclusive, poderia ter muitos outros protagonistas além de Leonel. Dessas que começam com o leve mexer das mãos e que terminam simplesmente sendo duras, inimagináveis e animadíssimas. E você hein! Achando que o bom mesmo era ter uma vida mole!

16/02/2011 18:43:35

Agatha

Camila / Rio de Janeiro RJ

Excelente tanto o Dez (quase) Amores quanto o Vida Dura.
Claudia Tajes está de parabéns pois me fez redescobrir o prazer de ler!!

13/01/2009 09:35:24

Você também pode gostar


A vida de Leonel de Moura Brizola Coelho não é nada fácil. Além de suportar as brincadeiras por conta de seu nome, a ele faltam dinheiro, amor, conforto e trabalho. Não necessariamente nessa ordem. Pulando de biscate em biscate para sobreviver na periferia de Porto Alegre, ele tenta desesperadamente inventar novas formas de ganhar alguma grana. Até que ele se depara com uma reportagem de jornal que vai transformar a sua vida numa gozação só – e não no sentido figurado.

Com o estilo irreverente que a consagrou como uma das mais interessantes vozes da novíssima ficção brasileira, Claudia Tajes tece essa bem-humorada e inusitada narrativa, que gira em torno de se ganhar dinheiro doando sêmen, concretizar as próprias fantasias, ser feliz e outras improbabilidades da vida.

" />