Coleção L&PM Pocket


Leitura obrigatória para o vestibular USP, UNICAMP, UFRGS e UNITAU/2016

Aluísio Tancredo Belo Gonçalves de Azevedo nasceu em São Luís do Maranhão em 1857 e morreu em Buenos Aires, Argentina, em 1913. Foi escritor, jornalista, crítico, dramaturgo, diplomata e membro-fundador da Academia Brasileira de Letras. Seus principais romances são O Mulato (1881), Casa de Pensão (1884) e O Cortiço (1890).
Publicado em 1890, O Cortiço é a síntese do Naturalismo brasileiro, sua melhor e mais acabada expressão. Constituindo-se em um dos melhores retratos do Brasil do fim do Segundo Império, a obra recria a realidade dos agrupamentos humanos sujeitos à influência da raça, do meio e do momento histórico. O predomínio dos instintos no comportamento do indivíduo, a força da sensualidade da mulher mestiça, o meio como fator determinante do comportamento são algumas das teses naturalistas defendidas pelo autor ao lado de fortes denúncias sociais. O protagonista do romance é o próprio cortiço, onde se acotovelam lavadeiras, trabalhadores de pedreira, malandros e viúvas pobres.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    O CORTIÇO

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance
    Literatura clássica brasileira
  • Referência:
    103
  • Cód.Barras:
    9788525409171
  • ISBN:
    978.85.254.0917-1
  • Páginas:
    272
  • Edição:
    abril de 1998

Vida & Obra

Aluísio Azevedo

Aluísio Azevedo nasceu em São Luís do Maranhão, em 1857. Contrariando a vontade paterna, que era vê-lo comerciante, viaja, aos 17 anos, para o Rio de Janeiro e começa a estudar pintura na Academia Imperial de Belas Artes. Logo passa a colaborar, com caricaturas e poesias, em jornais e revistas. Com a morte do pai em 1878, é obrigado a retornar a São Luís, onde, em 1880, lança o romance Uma Lágrima de Mulher, exageradamente sentimental, em estilo romântico. Fortemen...

Ler mais

Opinião do Leitor

cyka
são luis ma.

eu gostei muito do livro pois fala da realidade que nos rodeia..aprendemos muitas coisas boas como crescer na vida mas com nossa propia força de vontade e não pra se impor sobre os menos favorecidos ou pisando nos mesmo..adorei vlw bjão

28/11/2010

Você também pode gostar