Coleção L&PM Pocket


MEMÓRIAS DA CASA DOS MORTOS

ZAPISKI IZ MERTVADO DOMA

Dostoiévski

Tradução de Natália Nunes e Oscar Mendes

R$29,90

Memórias da casa dos mortos narra em forma de romance um dos períodos mais difíceis da vida de Dostoiévski (1821-1881): os anos em que passou na prisão. Em 1849, ele foi condenado à morte por debater idéias 'revolucionárias'. Porém, minutos antes do fuzilamento, sua pena acabou sendo comutada por quatro anos de prisão e trabalho forçado na Sibéria. Essa fase, de 1850 a 1854, deixaria marcas profundas no escritor, que transformou a dor do confinamento neste livro.

Publicada em capítulos entre 1860 e 1862 na revista Mundo Russo, a obra beira o relato documental, já que foi construída a partir das anotações que o escritor fez às escondidas, dos diálogos que presenciou e também das suas próprias impressões. Por meio do personagem de Alieksandr Pietróvitch, assassino confesso da própria mulher, Dostoiévski constrói um brutal e minucioso relato do dia-a-dia dos prisioneiros. Aqui, o grande autor perscruta a fundo a alma de cada um deles, revelando o sofrimento físico e mental do cárcere e a progressiva e total anulação da individualidade, sem deixar de lado a crítica a um sistema que fomenta o ódio e que não se preocupa em recuperar os cidadãos para a sociedade.

Memórias da casa dos mortos foi um êxito na época do seu lançamento e abriu uma nova fase na carreira do autor, que nunca se recobrou de ficar frente a frente com o terror e de conviver com homens que não diferenciavam o bem e o mal. É deste enfrentamento que emergem sua grandes obras literárias.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    MEMÓRIAS DA CASA DOS MORTOS

  • Título Original:
    ZAPISKI IZ MERTVADO DOMA
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance
    Memórias
  • Referência:
    695
  • Cód.Barras:
    9788525417558
  • ISBN:
    978.85.254.1755-8
  • Páginas:
    336
  • Edição:
    junho de 2008

Vida & Obra

Dostoiévski

Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski nasceu em Moscou em 11 de dezembro de 1821, no hospital onde seu pai, Mikhail Andriéievitch Dostoiévski, clinicava. Mikhail, apesar de imprimir uma disciplina severa à família, incentivava os sete filhos ao amor pela cultura. Em 1837, a mãe de Dostoiévski morreu precocemente de tuberculose. A perda foi um choque para o pai, que acabou mergulhando na depressão e no alcoolismo. Fiódor e seu irmão foram então enviados à Escola de Engenharia, ...

Ler mais

Opinião do Leitor

Caline Galvão
João Pessoa/PB

Memórias da Casa dos Mortos é um “divisor de águas” na carreira literária do russo moscovita Fiódor Mikhailovitch DOSTOIÉVSKI. O romance, publicado em 1862, narra a história verídica dos tempos de prisioneiro vividos pelo autor do livro. Na pele do personagem Alieksandr Pietróvitch, o autor narra a própria história através de relatos feitos por ele durante o período que passou na Sibéria, condenado a cinco anos de trabalhos forçados por lutar pelo ideal socialista.

Com a Bíblia sempre disponível, era um leitor árduo da Palavra durante todo o período de clausura. O escritor russo narra com detalhes o cotidiano fatídico dos prisioneiros, desde a falta de higiene até as “fugas” subornadas que alguns faziam para se divertir com mulheres fora do presídio.

A narrativa é muito interessante, detalhada e faz o leitor vislumbrar cada pormenor do local e ver os acontecimentos como se fosse um filme. Ele descreve personalidades bem distintas, conta como conseguiu fazer amigos – e sem querer, inimigos também – e como sobreviveu àqueles tempos difíceis. Livro indispensável para leitores amantes da literatura russa e para se compreender a segunda fase literária de Dostoiévski: seus textos pós-presídio são incomparavelmente melhores, e por isso, mais reconhecidos, do que os anteriores.

27/10/2011

Você também pode gostar