Coleção L&PM Pocket


LÍRIO DO VALE, O

LE LYS DANS LA VALÉE

Honoré de Balzac

Tradução de Rosa Freire d’Aguiar

R$29,90

Em O lírio do vale, publicado originalmente em 1835, Balzac resolveu debruçar-se sobre uma mulher-protagonista que fosse “possuidora de todas as virtudes”. Assim, ele criou a condessa Mortsauf e seu trágico destino de amar a Félix Vandenesse sem jamais ceder a consumação carnal de seu amor, mantendo-se portanto digna de seu marido, o truculento conde Mortsauf. Um exasperante amor platônico que tem seu destino trágico, como se Balzac quisesse, ao final, expressar seu profundo ceticismo em relação à virtude cristã.

Escrito como uma carta à condessa de Natalie de Manerville, Felix relata sua infância infeliz e a enorme paixão pela condessa com todos os seus desdobramentos. Considerado por vários estudiosos como um dos principais romances balzaquianos, O lírio do vale prende o leitor da primeira à última página.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    LÍRIO DO VALE, O

  • Título Original:
    LE LYS DANS LA VALÉE
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance
    Romance Literatura clássica internacional
  • Série:
    Balzac
  • Referência:
    493
  • Cód.Barras:
    9788525415202
  • ISBN:
    978.85.254.1520-2
  • Páginas:
    318
  • Edição:
    março de 2006

Vida & Obra

Honoré de Balzac

A comédia humana é o título geral que dá unidade à obra máxima de Honoré de Balzac e é composta de 89 romances, novelas e histórias curtas. Este enorme painel do século XIX foi ordenado pelo autor em três partes: “Estudos de costumes”, “Estudos analíticos” e “Estudos filosóficos”. A maior das partes, “Estudos de costumes”, com 66 títulos, subdivide-se em seis séries temáticas: Cenas da vida privada, Cenas da vida provinciana, Cenas da vida parisiense, Cena...

Ler mais

Opinião do Leitor

Mari / Paraíba

Adorei este livro, é perfeito!

16/02/2009 15:37:59

Você também pode gostar


Em O lírio do vale, publicado originalmente em 1835, Balzac resolveu debruçar-se sobre uma mulher-protagonista que fosse “possuidora de todas as virtudes”. Assim, ele criou a condessa Mortsauf e seu trágico destino de amar a Félix Vandenesse sem jamais ceder a consumação carnal de seu amor, mantendo-se portanto digna de seu marido, o truculento conde Mortsauf. Um exasperante amor platônico que tem seu destino trágico, como se Balzac quisesse, ao final, expressar seu profundo ceticismo em relação à virtude cristã.

Escrito como uma carta à condessa de Natalie de Manerville, Felix relata sua infância infeliz e a enorme paixão pela condessa com todos os seus desdobramentos. Considerado por vários estudiosos como um dos principais romances balzaquianos, O lírio do vale prende o leitor da primeira à última página.

" />