Coleção L&PM Pocket


"A mulher de 30 anos pode representar todos os papéis. A jovem sabe apenas gemer. Entre as duas, há a incomensurável diferença entre o previsto e o imprevisto, a força e a fraqueza."

Honoré de Balzac - "A mulher de trinta anos"

A MULHER DE TRINTA ANOS

LA FEMME DE TRENTE ANS

Honoré de Balzac

Tradução de Paulo Neves

A mulher de trinta anos é talvez o título mais conhecido de Honoré de Balzac. Foi este romance que originou o termo "balzaquiana" para designar mulheres mais maduras. Neste livro o autor penetra de maneira ampla e generosa na alma feminina, a ponto de merecer de sua amiga Zulma Carraud as seguintes linhas: "Você tem uma inteligência do coração das mulheres que nunca foi dada a nenhum outro homem... nunca um homem conseguiu entrar mais fundo na existência delas...". Balzac, em A mulher de trinta anos, foi um precursor do feminismo, ao mostrar Julie, a infeliz heroína, às voltas com problemas fundamentais da vida amorosa e sentimental das mulheres e com o fracasso do casamento.

Conforme apontaram os críticos Gabriel Hanotaux e Georges Vicaire, "Balzac prestou às mulheres um serviço imenso, que elas nunca lhe poderão agradecer suficientemente, pois duplicou para elas a idade do amor... Curou o amor do preconceito da mocidade".

Honoré de Balzac nasceu em Tours, França, em 1799 e morreu em Paris em 1850. Autor da célebre A comédia humana, conjunto da sua obra reunido a partir de 1842 representando um grande painel da sociedade francesa, da Revolução ao fim da monarquia. Mais de dois mil personagens compõem uma sociedade dominada pelo poder do dinheiro, entregues a paixões devoradoras e que são descritos em 90 romances concluídos. Entre eles: Gobseck (1830), A pele de Onagro (1831), A mulher de trinta anos (1832), Eugénie Grandet (1833), O pai Goriot (1834-1835), O lírio do vale (1835), Ilusões perdidas (1837-1843), La Rabouilleuse (1841), O primo Pons (1847).

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    A MULHER DE TRINTA ANOS

  • Título Original:
    LA FEMME DE TRENTE ANS
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Romance
    Literatura clássica internacional
  • Série:
    Balzac
  • Referência:
    149
  • Cód.Barras:
    9788525409836
  • ISBN:
    978.85.254.0983-6
  • Páginas:
    224
  • Edição:
    dezembro de 1998

Vida & Obra

Honoré de Balzac

A comédia humana é o título geral que dá unidade à obra máxima de Honoré de Balzac e é composta de 89 romances, novelas e histórias curtas. Este enorme painel do século XIX foi ordenado pelo autor em três partes: “Estudos de costumes”, “Estudos analíticos” e “Estudos filosóficos”. A maior das partes, “Estudos de costumes”, com 66 títulos, subdivide-se em seis séries temáticas: Cenas da vida privada, Cenas da vida provinciana, Cenas da vida parisiense, Cena...

Ler mais

Opinião do Leitor

EDSON  JORGE R.
Rio de Janeiro/RJ

Luciana, coincidentemente a minha filha fez no início deste mês, 30 anos, minha mensagem de parabéns, foi inspirada na obra " A mulher  de 30 anos " de Honoré de Balzac,  e suas observações, a respeito desta obra,  têm muitas semelhanças, ao que disse para a minha filha. ela gostou tanto da mensagem, que o  meu presente de aniversário será o próprio livro. Por isso , vim aqui dizer-lhe que gostei de suas observações a respeito do escritor, e aprovo a sugestão de que mais homens deveriam conhecer a obra de balzac, para o futuro de uma relação melhor com as mulheres, E no que toca a elas, Le-lo é sempre bom para o conhecimento de si própria.
                          Gostei de sua crítica.  
                                     Um grande abraço.

03/08/2011 11:19:01

Agatha

Edi Assis
Vila Velha/ES

Recomendo esse livro, embora ele seja de uma densidade perturbadora, por envolver muito do psicológico feminino. Aconselho lê-lo em um momento que as coisas estejam mais fluidas pois ele não é um livro leve e nos põe diante de questões bastante dramáticas. É um belo livro.

24/10/2010

Você também pode gostar


A mulher de trinta anos, foi um precursor do feminismo, ao mostrar Julie, a infeliz heroína, às voltas com problemas fundamentais da vida amorosa e sentimental das mulheres e com o fracasso do casamento.

Conforme apontaram os críticos Gabriel Hanotaux e Georges Vicaire, "Balzac prestou às mulheres um serviço imenso, que elas nunca lhe poderão agradecer suficientemente, pois duplicou para elas a idade do amor... Curou o amor do preconceito da mocidade".

Honoré de Balzac nasceu em Tours, França, em 1799 e morreu em Paris em 1850. Autor da célebre A comédia humana, conjunto da sua obra reunido a partir de 1842 representando um grande painel da sociedade francesa, da Revolução ao fim da monarquia. Mais de dois mil personagens compõem uma sociedade dominada pelo poder do dinheiro, entregues a paixões devoradoras e que são descritos em 90 romances concluídos. Entre eles: Gobseck (1830), A pele de Onagro (1831), A mulher de trinta anos (1832), Eugénie Grandet (1833), O pai Goriot (1834-1835), O lírio do vale (1835), Ilusões perdidas (1837-1843), La Rabouilleuse (1841), O primo Pons (1847).

" />