Coleção L&PM E-books


ENSAIOS CÉTICOS - Bertrand Russell

ENSAIOS CÉTICOS

Bertrand Russell

Tradução de Marisa Motta

"Essas proposições podem parecer moderadas; no entanto, se aceitas, revolucionariam de modo absoluto a vida humana." Com essas palavras Bertrand Russell introduz este livro verdadeiramente ousado. Para ele – que foi, junto a Sartre, o maior filósofo do século XX –, não era uma contradição se declarar cético e ao mesmo tempo acreditar que a razão pudesse transformar a vida humana. O resultado é esta coletânea de ensaios, a maioria dos quais escritos nos anos 1920, sobre assuntos que continuam no furacão das polêmicas: o perigo das guerras doutrinárias, a busca pela felicidade, a questão liberdade versus autoridade na educação, entre outros. Neste conjunto de textos que o filósofo John Gray afirma serem "alguns dos mais bonitos e interessantes ensaios escritos da língua inglesa", Russell aponta uma luz no fim do túnel: a inteligência como único remédio capaz de sanar as doenças de que o mundo sofre.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    ENSAIOS CÉTICOS

  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Ensaios
    Filosofia Pensamentos
  • eISBN:
    978.85.254.2983-4
  • Edição:
    setembro de 2013

Vida & Obra

Bertrand Russell

Bertrand Arthur William Russell, terceiro conde de Russell, nasceu no País de Gales, em uma família tradicional, no auge do poderio econômico e político inglês. Tornou-se filósofo, lógico e matemático, além de inveterado humanista. Escritor prolífico, ajudou a popularizar a filosofia por meio de palestras e comentários sobre uma grande variedade de assuntos, não apenas acadêmicos mas também relativos a questões da atualidade. Seguindo a tradição familiar de forte posicionam...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


"Essas proposições podem parecer moderadas; no entanto, se aceitas, revolucionariam de modo absoluto a vida humana." Com essas palavras Bertrand Russell introduz este livro verdadeiramente ousado. Para ele – que foi, junto a Sartre, o maior filósofo do século XX –, não era uma contradição se declarar cético e ao mesmo tempo acreditar que a razão pudesse transformar a vida humana. O resultado é esta coletânea de ensaios, a maioria dos quais escritos nos anos 1920, sobre assuntos que continuam no furacão das polêmicas: o perigo das guerras doutrinárias, a busca pela felicidade, a questão liberdade versus autoridade na educação, entre outros. Neste conjunto de textos que o filósofo John Gray afirma serem "alguns dos mais bonitos e interessantes ensaios escritos da língua inglesa", Russell aponta uma luz no fim do túnel: a inteligência como único remédio capaz de sanar as doenças de que o mundo sofre.

" />