Coleção L&PM Pocket


A PROPRIEDADE É UM ROUBO

Proudhon

Tradução de Suely Bastos

Pierre Joseph Proudhon (1809-1865);começou a trabalhar cedo numa tipografia, onde acabou conhecendo Charles Fourier, que influenciou muito em suas idéias, além de conhecer liberais, socialistas e utópicos. Em 1838, já diplomado pela faculdade de Besançon, foi para Paris. Lá publicou Qu´est-ce que la propriéte? (Que é propriedade?), em 1840. Nessa obra acaba se afirmando como anarquista, criticando a propriedade privada. Tinha em mente que quando se explorava a força de trabalho de um semelhante por semelhante, isso se definia como roubo. Além disso, destaca que cada pessoa deve comandar os meios de produção que está utilizando.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    A PROPRIEDADE É UM ROUBO

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Ensaios
  • Referência:
    84
  • Cód.Barras:
    9788525407306
  • ISBN:
    978.85.254.0730-6
  • Páginas:
    152
  • Edição:
    janeiro de 1998

Vida & Obra

Proudhon

O francês Pierre Joseph Proudhon (1809-1865) foi, ao mesmo tempo, pai do anarquismo, do socialismo científico, da economia política socialista e da sociologia moderna, e também o pai do mutualismo, do sindicalismo revolucionário, do federalismo e desta forma particular de coletivismo hoje conhecida como autogestão. Escritor abundante, pensador genial, autodidata, libertário radical e ao mesmo tempo o primeiro a entrever profeticamente os perigos de um socialismo autoritário, estatal e dogmático....

Ler mais

Opinião do Leitor

Eduardo Spengler
Rio de Janeiro/RJ

Excelente livro! Recomendo e presenteio a todos os meus amigos. Traz diversos textos importantes para os que pensam livremente. Obrigado a L&PM por trazer obras anarquistas de forma acessível, espero, no futuro, obras completas do autor.

18/09/2012 16:44:32

Você também pode gostar


Pierre Joseph Proudhon (1809-1865);começou a trabalhar cedo numa tipografia, onde acabou conhecendo Charles Fourier, que influenciou muito em suas idéias, além de conhecer liberais, socialistas e utópicos. Em 1838, já diplomado pela faculdade de Besançon, foi para Paris. Lá publicou Qu´est-ce que la propriéte? (Que é propriedade?), em 1840. Nessa obra acaba se afirmando como anarquista, criticando a propriedade privada. Tinha em mente que quando se explorava a força de trabalho de um semelhante por semelhante, isso se definia como roubo. Além disso, destaca que cada pessoa deve comandar os meios de produção que está utilizando.

" />