Coleção L&PM E-books


AMARES

AMARES

Eduardo Galeano

Tradução de Eric Nepomuceno; Sergio Faraco; Sérgio Karam

Amares – Eduardo Galeano

O mundo é isso. Um montão de gente, um mar de fogueirinhas.

Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras.

Eles são dois por engano. A noite corrige.

Os ninguéns: os filhos de ninguém, os donos de nada... Os ninguéns, que custam menos do que a bala que os mata.

Frases como essas – incluídas nesta antologia dos melhores textos de Eduardo Galeano, que ele mesmo selecionou – se sublinham, se presenteiam como sinônimo de cumplicidade, se compartilham; elas carregam um olhar crítico sobre o mundo, mas também a possibilidade de uma utopia. Os leitores de Galeano as guardam na memória.

As páginas de Amares revelam os temas que o preocuparam e inspiraram: as vicissitudes agridoces do amor, a amizade duradoura e os pequenos momentos grandiosos que a vida cotidiana nos brinda, mas também as injustiças, o grito dos esquecidos da história e a condenação das piores figuras do mundo contemporâneo. Galeano fala neste livro do amor em suas múltiplas formas: um casal que fica junto ou se perde, os filhos, o país que ampara ou expulsa, os companheiros de estrada, a escrita, os deuses que concedem e tiram, aqueles que vivem à margem.

“Fomos feitos de luz, além de carbono e oxigênio e merda e morte e outras coisas, e enfim estamos aqui desde que a beleza do universo precisou de alguém que a visse”, escreve Galeano. As histórias de Amares – enternecedoras, reveladoras, pessoais e universais ao mesmo tempo – fazem justiça à beleza que Galeano se dedicava a encontrar no mundo.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    AMARES

  • Título Original:
    AMARES
  • Catálogo:
    Coleção L&PM E-books
  • Gênero:
    Literatura estrangeira
  • eISBN:
    978-65-5666-047-9
  • Edição:
    setembro de 2019

Vida & Obra

Eduardo Galeano

Eduardo Galeano (1940-2015) nasceu em Montevidéu, no Uruguai. Viveu exilado na Argentina e na Catalunha, na Espanha, desde 1973. No início de 1985, com o fim da ditadura, voltou a Montevidéu. Galeano comete, sem remorsos, a violação de fronteiras que separam os gêneros literários. Ao longo de uma obra na qual confluem narração e ensaio, poesia e crônica, seus livros recolhem as vozes da alma e da rua e oferecem uma síntese da realidade e sua memória. Recebeu o prêmio José María Arguedas, outo...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Amares – Eduardo Galeano

O mundo é isso. Um montão de gente, um mar de fogueirinhas.

Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras.

Eles são dois por engano. A noite corrige.

Os ninguéns: os filhos de ninguém, os donos de nada... Os ninguéns, que custam menos do que a bala que os mata.

Frases como essas – incluídas nesta antologia dos melhores textos de Eduardo Galeano, que ele mesmo selecionou – se sublinham, se presenteiam como sinônimo de cumplicidade, se compartilham; elas carregam um olhar crítico sobre o mundo, mas também a possibilidade de uma utopia. Os leitores de Galeano as guardam na memória.

As páginas de Amares revelam os temas que o preocuparam e inspiraram: as vicissitudes agridoces do amor, a amizade duradoura e os pequenos momentos grandiosos que a vida cotidiana nos brinda, mas também as injustiças, o grito dos esquecidos da história e a condenação das piores figuras do mundo contemporâneo. Galeano fala neste livro do amor em suas múltiplas formas: um casal que fica junto ou se perde, os filhos, o país que ampara ou expulsa, os companheiros de estrada, a escrita, os deuses que concedem e tiram, aqueles que vivem à margem.

“Fomos feitos de luz, além de carbono e oxigênio e merda e morte e outras coisas, e enfim estamos aqui desde que a beleza do universo precisou de alguém que a visse”, escreve Galeano. As histórias de Amares – enternecedoras, reveladoras, pessoais e universais ao mesmo tempo – fazem justiça à beleza que Galeano se dedicava a encontrar no mundo.

" />