Outros Formatos


DUAS DAMAS BEM-COMPORTADAS

TWO SERIOUS LADIES

Jane Bowles

Tradução de Lya Luft

“Meu livro favorito. Não consigo pensar em outro romance moderno com mais chance de se tornar um clássico." - Tennessee Williams

Frieda Copperfield e Christina Goering são amigas de longa data. Mulheres respeitáveis por fora, mas frustradas por dentro. Cada qual toma um caminho não convencional para aplacar essa situação: Frieda, em uma viagem ao Panamá, abandona o marido e se envolve com uma jovem prostituta; já Christina, uma mulher solteira, se entrega a aventuras carnais com os homens mais vis. Tudo pela libertação e pela felicidade.

Com diálogos vivazes e irreverentes, este livro – seu único romance – se tornou cult entre intelectuais e escritores, e sua verdade ressoa até hoje. Como uma das personagens, a certa altura: “Eu desmoronei, sim, e queria fazer isso há anos. Sei que sou culpadíssima, mas agora tenho a minha felicidade, que vigio como uma loba, e agora tenho autoridade, e coragem que [...] nunca tive antes”. Como afirmava Truman Capote: à obra de Jane Bowles faltava quantidade, não qualidade.    

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    DUAS DAMAS BEM-COMPORTADAS

  • Título Original:
    TWO SERIOUS LADIES
  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Literatura estrangeira
    Feminismo
  • Série:
    Clássicos Modernos
  • Cód.Barras:
    9788525438362
  • ISBN:
    978.85.254.3836-2
  • Páginas:
    200
  • Edição:
    junho de 2019

Vida & Obra

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


“Meu livro favorito. Não consigo pensar em outro romance moderno com mais chance de se tornar um clássico." - Tennessee Williams

Frieda Copperfield e Christina Goering são amigas de longa data. Mulheres respeitáveis por fora, mas frustradas por dentro. Cada qual toma um caminho não convencional para aplacar essa situação: Frieda, em uma viagem ao Panamá, abandona o marido e se envolve com uma jovem prostituta; já Christina, uma mulher solteira, se entrega a aventuras carnais com os homens mais vis. Tudo pela libertação e pela felicidade.

Com diálogos vivazes e irreverentes, este livro – seu único romance – se tornou cult entre intelectuais e escritores, e sua verdade ressoa até hoje. Como uma das personagens, a certa altura: “Eu desmoronei, sim, e queria fazer isso há anos. Sei que sou culpadíssima, mas agora tenho a minha felicidade, que vigio como uma loba, e agora tenho autoridade, e coragem que [...] nunca tive antes”. Como afirmava Truman Capote: à obra de Jane Bowles faltava quantidade, não qualidade.    

" />