Outros Formatos


3ª Edição incluindo quatro contos inéditos

Em 1995, o escritor Sergio Faraco, autor de livros como Idolatria (1970), Hombre (1978) e Noite de matar um homem (1986), considerado um dos melhores contistas brasileiros vivos, decidiu abandonar a literatura. O resultado foi a primeira edição de Contos completos, publicada no mesmo ano. A decisão, felizmente, foi revertida, e em 2000 Faraco lançou Rondas de escárnio e loucura, com sete contos inéditos, além de um material reescrito e revisado.

Quase dez anos após a primeira edição de Contos completos, chega agora às livrarias uma nova edição, revista pela autor e atualizada, contendo também os sete contos publicados em Rondas de escárnio e dois novos contos inéditos.

A organização do volume é temática, não cronológica: os contos da primeira parte se passam na região fronteiriça (de onde vem o autor, nascido em Alegrete, RS), na qual os sentimentos de solidariedade e solidão humana são ressaltados pelo ambiente e pela paisagem parados no tempo, como um mundo à beira da destruição. A segunda parte reúne contos sobre a visão infantil da vida, em que os protagonistas são, no geral, meninos que experimentam o processo de crescimento (e, muitas vezes, do desabrochar da sexualidade) como um processo de perda irreversível. A terceira e última parte mostra personagens perdidos na cidade grande, onde a solidão permanece e se intensifica.

Entretanto, a riqueza do universo ficcional de Faraco não pode ser reduzida a essa tipologia. O esmero do artesão tão econômico quanto rigoroso com as palavras, a capacidade de apresentar personagens com um grau de densidade psicológica inversamente proporcional à secura do ambiente e à parcimônia de linguagem, e a maestria de propor enredos que, muito ao contrário de regionais, atingem questões universais do ser humano fazem de cada conto do autor uma pérola única da literatura brasileira.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    CONTOS COMPLETOS

  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Contos
    Literatura moderna brasileira
  • Cód.Barras:
    9788525404664
  • ISBN:
    978.85.254.0466-4
  • Páginas:
    332

Vida & Obra

Sergio Faraco

Nasceu em Alegrete, no Rio Grande do Sul, em 1940. Entre os anos 1963 e 1965, viveu na União Soviética, tendo cursado o Instituto Internacional de Ciências Sociais, em Moscou. Mais tarde, no Brasil, bacharelou-se em Direito. Em 1988, seu livro A dama do Bar Nevada obteve o Prêmio Galeão Coutinho, conferido pela União Brasileira de Escritores ao melhor volume de contos lançado no Brasil no ano anterior. Em 1994, com A lua com sede, recebeu o Prêmio Henrique Ber...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Em 1995, o escritor Sergio Faraco, autor de livros como Idolatria (1970), Hombre (1978) e Noite de matar um homem (1986), considerado um dos melhores contistas brasileiros vivos, decidiu abandonar a literatura. O resultado foi a primeira edição de Contos completos, publicada no mesmo ano. A decisão, felizmente, foi revertida, e em 2000 Faraco lançou Rondas de escárnio e loucura, com sete contos inéditos, além de um material reescrito e revisado.

Quase dez anos após a primeira edição de Contos completos, chega agora às livrarias uma nova edição, revista pela autor e atualizada, contendo também os sete contos publicados em Rondas de escárnio e dois novos contos inéditos.

A organização do volume é temática, não cronológica: os contos da primeira parte se passam na região fronteiriça (de onde vem o autor, nascido em Alegrete, RS), na qual os sentimentos de solidariedade e solidão humana são ressaltados pelo ambiente e pela paisagem parados no tempo, como um mundo à beira da destruição. A segunda parte reúne contos sobre a visão infantil da vida, em que os protagonistas são, no geral, meninos que experimentam o processo de crescimento (e, muitas vezes, do desabrochar da sexualidade) como um processo de perda irreversível. A terceira e última parte mostra personagens perdidos na cidade grande, onde a solidão permanece e se intensifica.

Entretanto, a riqueza do universo ficcional de Faraco não pode ser reduzida a essa tipologia. O esmero do artesão tão econômico quanto rigoroso com as palavras, a capacidade de apresentar personagens com um grau de densidade psicológica inversamente proporcional à secura do ambiente e à parcimônia de linguagem, e a maestria de propor enredos que, muito ao contrário de regionais, atingem questões universais do ser humano fazem de cada conto do autor uma pérola única da literatura brasileira.

" />