Coleção L&PM Pocket


10 DIAS QUE ABALARAM O MUNDO

TEN DAYS THAT SHOOK THE WORLD

John Reed

Tradução de Armando Gimenez

Considerado como a primeira grande reportagem moderna, este livro é uma minuciosa e vibrante descrição da revolução comunista de 1917 na Rússia. Ler 10 dias que abalaram o mundo é como assistir pessoalmente aos dramáticos acontecimentos que culminaram com a instauração de um regime que durou mais de cinquenta anos e esteve no centro dos principais acontecimentos do século XX.

John Reed nasceu no Oregon, nos Estados Unidos, em 1887 e morreu em Moscou em 1920. Deslocado para a Europa em 1914 pela Metropolitan Magazine para a cobertura da Primeira Grande Guerra, recém-iniciada, Reed e sua esposa, Louise Bryant (1885-1936), percorreram os Bálcãs e chegaram em Moscou no auge do movimento revolucionário. Egresso da Universidade de Harvard, Reed sempre foi sensível às causas sociais e apaixonado pelo jornalismo. Ficou conhecido por acompanhar a revolução mexicana de Emiliano Zapata e Pancho Villa em 1914, cujo relato resultou no também célebre livro México rebelde.

Em Moscou, aproximou-se de Lênin e outros líderes comunistas, identificando-se integralmente com os ideais comunistas da Revolução. Morreu em Moscou ao contrair tifo e recebeu da Revolução – que acompanhou e ajudou a divulgar no mundo inteiro – a maior homenagem: foi o único ocidental a ser enterrado nas muralhas do Kremlin, próximo do mausoléu de Lênin, ao lado de Stalin, Gagarin e outros heróis da então União Soviética.

Em 1981, o ator Warren Beatty dirigiu e estrelou o filme Reds, que conta a vida aventureira do grande escritor. Trabalharam no filme também Diane Keaton, Jack Nicholson e Gene Hackmann.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    10 DIAS QUE ABALARAM O MUNDO

  • Título Original:
    TEN DAYS THAT SHOOK THE WORLD
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Reportagens
    Literatura moderna internacional História Documento
  • Referência:
    295
  • Cód.Barras:
    9788525411945
  • ISBN:
    978.85.254.1194-5
  • Páginas:
    384
  • Edição:
    novembro de 2002

Vida & Obra

John Reed

John Reed nasceu no Oregon, nos EUA, em 1887 e morreu em Moscou em 1920. Deslocado para a Europa em 1914 pelo Metropolitan Magazine para a cobertura da Primeira Grande Guerra, recém-iniciada, Reed e sua esposa, Louise Bryant (1885-1936), percorreram os Balcãs e chegaram em Moscou no auge do movimento revolucionário. Egresso da Universidade de Harvard, Reed sempre foi sensível às causas sociais e apaixonado pelo jornalismo. Ficou conhecido por acompanhar a revolução mexicana de Emiliano Zapata e ...

Ler mais

Opinião do Leitor

Paulo Dias
João Pessoa - Pb

John Reed foi um destacado jornalista revolucionário e retratou magistralmente os meandros da revolução russa com extrema imparcialidade. Assim como Méxixo insurgente, 10 dias que abalaram o mundo é uma obra que fomenta o espírito revolucionário em cada homem.

18/07/2011 09:31:48

Você também pode gostar


Considerado como a primeira grande reportagem moderna, este livro é uma minuciosa e vibrante descrição da revolução comunista de 1917 na Rússia. Ler 10 dias que abalaram o mundo é como assistir pessoalmente aos dramáticos acontecimentos que culminaram com a instauração de um regime que durou mais de cinquenta anos e esteve no centro dos principais acontecimentos do século XX.

John Reed nasceu no Oregon, nos Estados Unidos, em 1887 e morreu em Moscou em 1920. Deslocado para a Europa em 1914 pela Metropolitan Magazine para a cobertura da Primeira Grande Guerra, recém-iniciada, Reed e sua esposa, Louise Bryant (1885-1936), percorreram os Bálcãs e chegaram em Moscou no auge do movimento revolucionário. Egresso da Universidade de Harvard, Reed sempre foi sensível às causas sociais e apaixonado pelo jornalismo. Ficou conhecido por acompanhar a revolução mexicana de Emiliano Zapata e Pancho Villa em 1914, cujo relato resultou no também célebre livro México rebelde.

Em Moscou, aproximou-se de Lênin e outros líderes comunistas, identificando-se integralmente com os ideais comunistas da Revolução. Morreu em Moscou ao contrair tifo e recebeu da Revolução – que acompanhou e ajudou a divulgar no mundo inteiro – a maior homenagem: foi o único ocidental a ser enterrado nas muralhas do Kremlin, próximo do mausoléu de Lênin, ao lado de Stalin, Gagarin e outros heróis da então União Soviética.

Em 1981, o ator Warren Beatty dirigiu e estrelou o filme Reds, que conta a vida aventureira do grande escritor. Trabalharam no filme também Diane Keaton, Jack Nicholson e Gene Hackmann.

" />