Coleção L&PM Pocket


TRIÂNGULO DAS ÁGUAS - Caio Fernando Abreu

Três novelas da madrugada e uma brincadeira

 

Triângulo das águas, é um dos melhores livros de Caio Fernando Abreu (1948-1996). Reconhecido com o Prêmio Jabuti 1984 – a maior honraria literária brasileira –, Triângulo é também um título exemplar do ponto de vista do estilo do autor: nas linhas das novelas que o compõem – DodecaedroO marinheiro Pela noite – encontram-se cristalizadas algumas constantes na obra de Caio. A alma perdida em busca de alguma coisa (às vezes afeto), a verborragia e as referências que, longe de presun­çosas, exalam sinceridade e aproximam os leitores, a vida sob o signo da madrugada, as boas-vindas aos mistérios da existência concretizados, neste livro, pela presença da astrologia (inclusive no título), e pelo tom confessional-desesperado.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    TRIÂNGULO DAS ÁGUAS

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Literatura moderna brasileira
  • Referência:
    415
  • Cód.Barras:
    9788525412171
  • ISBN:
    978.85.254.1217-1
  • Páginas:
    224
  • Edição:
    abril de 2005

Vida & Obra

Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Abreu nasceu em Santiago, RS, em 1948 e morreu em Porto Alegre em 1996. É considerado um dos grandes escritores brasileiros de todos os tempos. Escreveu, entre outros livros, Morangos mofados, Onde andará Dulce Veiga?, Pedras de Calcutá, Os dragões não conhecem o paraíso, Inventário do irremediável, Fragmentos, O ovo apunhalado, Ovelhas negras e Triângulo das águas (os últimos quatro pu­blicados na Coleção L&PM POCKET)...

Ler mais

Opinião do Leitor

Thiago Gugani
Londrina/Paraná

um clássico

28/01/2011

Você também pode gostar


Três novelas da madrugada e uma brincadeira

 

Triângulo das águas, é um dos melhores livros de Caio Fernando Abreu (1948-1996). Reconhecido com o Prêmio Jabuti 1984 – a maior honraria literária brasileira –, Triângulo é também um título exemplar do ponto de vista do estilo do autor: nas linhas das novelas que o compõem – DodecaedroO marinheiro Pela noite – encontram-se cristalizadas algumas constantes na obra de Caio. A alma perdida em busca de alguma coisa (às vezes afeto), a verborragia e as referências que, longe de presun­çosas, exalam sinceridade e aproximam os leitores, a vida sob o signo da madrugada, as boas-vindas aos mistérios da existência concretizados, neste livro, pela presença da astrologia (inclusive no título), e pelo tom confessional-desesperado.

" />