Coleção L&PM Pocket


GRANDE DEFLORADOR, O

R$19,90

Dalton Trevisan, um dos mais importantes escritores brasileiros, lança o segundo livro dentro da coleção L&PM Pocket. A estréia foi com o 111 ais, sucesso absoluto, e agora O grande deflorador, que segue o mesmo estilo deste grande escritor, cuja característica principal é um olhar sem ilusões, trágico e tragicômico sobre o gênero humano.

Abaixo, um dos textos de O grande deflorador:

Maria é o meu nome. O mesmo da mãe do Nosso Senhor. Exala a mentruz com arruda. A patroa não quer saber – o cheiro de santa? Que tome dois banhos por dia. Escolha o arroz. Já lavou a roupa? Grande preguiçosa. Varra a calçada. Não sou sabão. Em duas não posso me repartir. Tanto bastou que a patroa: Erga-se daqui, ó coisa. Suma-se. Rua. Lá se vai Maria com sua trouxinha.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    GRANDE DEFLORADOR, O

  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Literatura moderna brasileira
    Erótico
  • Série:
    Eróticos
  • Referência:
    210
  • Cód.Barras:
    9788525410672
  • ISBN:
    978.85.254.1067-2
  • Páginas:
    105

Vida & Obra

Dalton Trevisan

Nasceu na cidade de Curitiba, em 14 de junho de 1925. Formou-se na Faculdade de Direito do Paraná e liderou o grupo literário que publicou, entre 1946 e 1948, a revista Joaquim. A publicação, que circulou até dezembro de 1948, continha o material de seus primeiros livros de ficção, incluindo Sonata ao luar (1945) e Sete anos de pastor (1948). Em 1954, publicou o Guia Histórico de Curitiba, Crônicas da Província de Curitiba, O dia de Marcos...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Dalton Trevisan, um dos mais importantes escritores brasileiros, lança o segundo livro dentro da coleção L&PM Pocket. A estréia foi com o 111 ais, sucesso absoluto, e agora O grande deflorador, que segue o mesmo estilo deste grande escritor, cuja característica principal é um olhar sem ilusões, trágico e tragicômico sobre o gênero humano.

Abaixo, um dos textos de O grande deflorador:

Maria é o meu nome. O mesmo da mãe do Nosso Senhor. Exala a mentruz com arruda. A patroa não quer saber – o cheiro de santa? Que tome dois banhos por dia. Escolha o arroz. Já lavou a roupa? Grande preguiçosa. Varra a calçada. Não sou sabão. Em duas não posso me repartir. Tanto bastou que a patroa: Erga-se daqui, ó coisa. Suma-se. Rua. Lá se vai Maria com sua trouxinha.

" />