Coleção L&PM Pocket


UMA ANEDOTA INFAME

SKVERNYI ANEKDOT

Fiódor Dostoiévski

Tradução de Polyana Ramos

R$14,90

Uma sátira afiada e implacável

Ivan Ilítch Pralínski, general e alto funcionário público, tem fama de liberal. Bonito e requintado, um poeta na alma, anda com uma condecoração no pescoço e sonha em ser estadista. Ao sair de um jantar, passa ao acaso na frente da festa do casamento de um de seus subalternos mais humildes e vê aí uma oportunidade: dar a honra de sua bondosa presença ao pobre Pseldonímov. Mas nada sai como planejado, e sua deferente visita se transforma numa espiral de constrangimento.

Dostoiévski publicou Uma anedota infame primeiramen­te em capítulos em 1862 na revista Tempo, que mantinha com o irmão. No mesmo ano em que publicava Memórias da casa dos mortos, construiu esta afiada sátira sobre a luta de classes da Rús­sia do século XIX, um de seus temas mais caros. Ao contrário dos sombrios dramas que marcaram sua literatura, esta novela está carregada de uma falsa leveza. Sarcasticamente revela a visão de mundo de Dostoiévski: o ser humano apoia seu semelhante ao mes­mo tempo em que o esmaga cruelmente.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    UMA ANEDOTA INFAME

  • Título Original:
    SKVERNYI ANEKDOT
  • Catálogo:
    Coleção L&PM Pocket
  • Gênero:
    Ficção
    Arteterapia Ficção estrangeira
  • Série:
    Coleção 96 Páginas
  • Referência:
    1253
  • Cód.Barras:
    9788525436313
  • ISBN:
    978-85-254-3631-3
  • Páginas:
    96
  • Edição:
    julho de 2017

Vida & Obra

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


Uma sátira afiada e implacável

Ivan Ilítch Pralínski, general e alto funcionário público, tem fama de liberal. Bonito e requintado, um poeta na alma, anda com uma condecoração no pescoço e sonha em ser estadista. Ao sair de um jantar, passa ao acaso na frente da festa do casamento de um de seus subalternos mais humildes e vê aí uma oportunidade: dar a honra de sua bondosa presença ao pobre Pseldonímov. Mas nada sai como planejado, e sua deferente visita se transforma numa espiral de constrangimento.

Dostoiévski publicou Uma anedota infame primeiramen­te em capítulos em 1862 na revista Tempo, que mantinha com o irmão. No mesmo ano em que publicava Memórias da casa dos mortos, construiu esta afiada sátira sobre a luta de classes da Rús­sia do século XIX, um de seus temas mais caros. Ao contrário dos sombrios dramas que marcaram sua literatura, esta novela está carregada de uma falsa leveza. Sarcasticamente revela a visão de mundo de Dostoiévski: o ser humano apoia seu semelhante ao mes­mo tempo em que o esmaga cruelmente.

" />