Outros Formatos


CENAS DE UMA REVOLUÇÃO - O NASCIMENTO DA NOVA HOLLYWOOD

PICTURES AT A REVOLUTION

Mark Harris

Tradução de Alexandre Boide

R$72,00

"Um dos melhores livros sobre filmes que eu já li." (Nick Hornby)

Estados Unidos, 1968: Martin Luther King acaba de ser assassinado, e a entrega do Oscar tem que ser adiada. No páreo pela estatueta de melhor filme concorriam Bonnie and Clyde, A primeira noite de um homem, O fantástico doutor Dolittle, Adivinhe quem vem para o jantar e No calor da noite. Dois dias depois a cerimônia acaba acontecendo, mas, independentemente do vencedor, o cinema norte-americano nunca mais seria o mesmo.

A partir da história de como essas cinco produções foram escritas, produzidas, dirigidas, editadas, divulgadas e recebidas pelo público, Mark Harris traça um painel cultural do embate que estava acontecendo entre a velha e a nova Hollywood; uma revolução que levou o mercado cinematográfico norte-americano a se renovar.

Entre os cinco concorrentes a melhor filme de 1967, A primeira noite de um homem e Bonnie and Clyde eram os grandes representantes desse novo estilo de fazer cinema. O primeiro foi um marco de chamada produção independente, com um protagonista - o estreante Dustin Hoffman - que em nada lembrava os grandes galãs de Hollywood. O segundo, produzido por Warrer Beatty, foi escrito por dois jornalistas que, embalados pela nouvelle vague, imaginaram um diretor francês para o filme americano e criaram um roteiro no qual a violência era pela primeira vez mostrada sob um enfoque tão cru.

Naquele emblemático ano, a Academia selecionou cinco filmes que refletiam questões da pauta do dia da sociedade norte-americana, como a revolução sexual - até então mascarada pelo rígido Código de Produção, que ditavam as diretrizes morais dos filmes - e a segregação racial, temática presente tanto em Adivinhe quem vem para jantar como em No calor da noite.

Com este instigante tour de force sobre a história recente do cinema, Mark Harris transporta o leitor no tempo e no espaço para os bastidores da maior indústria cinematográfica do mundo em seu momento de inflexão, num livro que se tornará obrigatório para os observadores da sétima arte.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    CENAS DE UMA REVOLUÇÃO - O NASCIMENTO DA NOVA HOLLYWOOD

  • Título Original:
    PICTURES AT A REVOLUTION
  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Cinema
  • Cód.Barras:
    9788525408037
  • ISBN:
    978.85.254.0803-7
  • Páginas:
    488
  • Edição:
    maio de 2011

Vida & Obra

Mark Harris

Mark Harris trabalhou por quinze anos como repórter e editor de cinema, televisão e livros para a revista Entertainment Weekly, na qual agora assina a coluna “The Final Cut”. Escreve sobre cultura pop para várias outras publicações, como The New York Times, The Washington Post e The Guardian. Cenas de uma revolução é seu primeiro livro.

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


(Nick Hornby)

Estados Unidos, 1968: Martin Luther King acaba de ser assassinado, e a entrega do Oscar tem que ser adiada. No páreo pela estatueta de melhor filme concorriam Bonnie and Clyde, A primeira noite de um homem, O fantástico doutor Dolittle, Adivinhe quem vem para o jantar e No calor da noite. Dois dias depois a cerimônia acaba acontecendo, mas, independentemente do vencedor, o cinema norte-americano nunca mais seria o mesmo.

A partir da história de como essas cinco produções foram escritas, produzidas, dirigidas, editadas, divulgadas e recebidas pelo público, Mark Harris traça um painel cultural do embate que estava acontecendo entre a velha e a nova Hollywood; uma revolução que levou o mercado cinematográfico norte-americano a se renovar.

Entre os cinco concorrentes a melhor filme de 1967, A primeira noite de um homem e Bonnie and Clyde eram os grandes representantes desse novo estilo de fazer cinema. O primeiro foi um marco de chamada produção independente, com um protagonista - o estreante Dustin Hoffman - que em nada lembrava os grandes galãs de Hollywood. O segundo, produzido por Warrer Beatty, foi escrito por dois jornalistas que, embalados pela nouvelle vague, imaginaram um diretor francês para o filme americano e criaram um roteiro no qual a violência era pela primeira vez mostrada sob um enfoque tão cru.

Naquele emblemático ano, a Academia selecionou cinco filmes que refletiam questões da pauta do dia da sociedade norte-americana, como a revolução sexual - até então mascarada pelo rígido Código de Produção, que ditavam as diretrizes morais dos filmes - e a segregação racial, temática presente tanto em Adivinhe quem vem para jantar como em No calor da noite.

Com este instigante tour de force sobre a história recente do cinema, Mark Harris transporta o leitor no tempo e no espaço para os bastidores da maior indústria cinematográfica do mundo em seu momento de inflexão, num livro que se tornará obrigatório para os observadores da sétima arte.

" />