Outros Formatos


“Trevisan é um poeta extraordinário.” (João Cabral de Melo Neto)

“Os livros de Trevisan são originais, vividos, obedecendo a uma construção, a um esquema pessoal de poesia.” (Murilo Mendes)

“Com este livro, Trevisan, em sua generosa maturidade, nos entrega um presente: poesia, sexo e vinho, só o que há de melhor. E uma excelente mistura.” (Jorge Furtado)

“Tenho a impressão de que em Armindo Trevisan o artista e sua arte – luz e substância – formam uma entidade única. O homem empresta corpo à sua poesia, esta espiritualiza o homem e ambos iluminam a vida.” (Erico Verissimo)

Poemas com amor e alma

Completando um ciclo poético de quase meio século que se iniciou com A surpresa de ser, em 1967, Armindo Trevisan festeja com este livro seus 80 anos, mas quem recebe o presente é o leitor. Na primeira parte, os amantes se entregam a diversos prazeres, como o do vinho. Entre um gole e outro, o homem e a mulher veem a razão evaporar, perdidos na embriaguez dos sentimentos. Inspirado pelos mais inspiradores versos de amor já compostos, incluindo os de Camões e de Drummond, Trevisan convida todos a adentrarem sua Adega imaginária, nas suas palavras, “um canto jubiloso ao corpo e à alma”.

Na segunda parte, o autor retoma a definição de poesia de Baudelaire de “infância reencontrada” e revisita seus temas mais caros, como o erotismo, a religião e a arte do próprio ofício de poeta. E, para finalizar este volume, Trevisan nos presenteia com um poema burilado por mais de trinta anos, que finalmente nasceu em tempo de ser publicado neste livro, “Menino dormindo”.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    ADEGA IMAGINÁRIA

  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Poesia
  • Cód.Barras:
    9788525429612
  • ISBN:
    978-85-254-2961-2
  • Páginas:
    208
  • Edição:
    agosto de 2013

Vida & Obra

Armindo Trevisan

Armindo Trevisan nasceu em Santa Maria (RS), em 1933. Doutorou-se em filosofia pela Universidade de Fribourg, na Suíça. Foi professor de História da Arte e Estética na Universidade Federal do Rio Grande do Sul de 1973 a 1986. Pela sua obra, que reúne cerca de trinta livros, entre poesia, ensaios e traduções, foi agraciado com inúmeras homenagens, como o Prêmio Nacional de Poesia Gonçalves Dias, em 1964, por A surpresa de ser, o Prêmio Nacional de Brasília, em 1972, por O...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar