em 


Opções Avançadas

Vida & Obra

 

Livros do Autor



VIAGEM DE UM NATURALISTA AO REDOR DO MUNDO – V.1

Charles Darwin
Tradução de Pedro Gonzaga

Coleção L&PM Pocket
Ref. 693
272 páginas
ISBN 978.85.254.1763-3
Também em e-book

R$29,90



VIAGEM DE UM NATURALISTA AO REDOR DO MUNDO – V.2

Charles Darwin
Tradução de Pedro Gonzaga

Coleção L&PM Pocket
Ref. 694
320 páginas
ISBN 978.85.254.1764-0
Também em e-book

R$29,90



VIAGEM DE UM NATURALISTA AO REDOR DO MUNDO [VOLUME ÚNICO]

Charles Darwin
Tradução de Pedro Gonzaga

Coleção L&PM E-books
Formato ePub
ISBN 978.85.254.2837-0

R$22,90

Charles Darwin

Charles Robert Darwin nasceu em Shrewsbury, na Inglaterra, no dia 12 de fevereiro de 1809. Ele foi o quinto dos seis filhos do médico Robert Darwin e sua esposa Susannah Darwin. Sua mãe morreu quando ele tinha apenas oito anos. Durante a infância, Darwin já mostrava interesse pela biologia: ele colecionava minerais, insetos, ovos de pássaros, além de cães e ratos.

Em 1825, Darwin foi estudar Medicina na Universidade de Edimburgo. Contudo, sua aversão à prática cirúrgica da época levou-o a negligenciar os estudos médicos. Com muito interesse nas questões naturalistas, Darwin passa a freqüentar sociedades estudantis que tratavam do assunto, como a Sociedade Pliniana, onde se liam comunicações sobre história natural. Em 1827, seu pai, decepcionado com a falta de interesse de Darwin pela medicina, matriculou-o em um curso de Bacharelado em Artes na Universidade de Cambridge para que ele se tornasse um clérigo. Em Cambridge, entretanto, Darwin preferia cavalgar a ficar estudando. Ele também passava muito do seu tempo coletando besouros com o seu primo William Darwin Fox.

Em 1831, Darwin fez a viagem que mudaria o rumo de sua vida. Acompanhado do capitão Robert FitzRoy, ele saiu em uma expedição de dois anos que deveria mapear a costa da América do Sul, a bordo do barco inglês H.M.S. Beagle. A sua viagem a bordo do Beagle – que de dois passou para cinco anos – e escritos posteriores trouxeram-lhe reconhecimento como geólogo e fama como escritor. Suas observações da natureza levaram-no ao estudo da diversificação das espécies e, em 1838, ao desenvolvimento da teoria da seleção natural. Essa longa viagem deu a orientação que Darwin imprimiria à pesquisa sobre o tema fundamental de sua obra: a teoria da origem das espécies. Darwin colecionou fósseis e observou inúmeras espécies vegetais e animais, além de assistir a fenômenos geológicos como erupções vulcânicas e terremotos. Seu primeiro livro, Pesquisas sobre a geologia e a história natural nos vários países visitados pelo H.M.S. Beagle, 1832-1836, resumiu as descobertas que fez na viagem.

Em 29 de janeiro de 1839, Darwin casou-se com uma prima, Emma Wedgwood. Após um curto período em Londres, o casal passou a viver em Downe, no condado de Kent, devido aos problemas de saúde que Darwin carregaria até a morte. Seu mal, tido por mera hipocondria, foi mais tarde atribuído à picada de um inseto que, durante sua viagem pelos mares do sul, lhe transmitiu a então desconhecida doença de Chagas. Em 1859, Darwin lançou sua obra-prima, Origem das espécies, que se tornou um dos livros mais importantes da história da biologia. Nele, Darwin propõe a teoria de que os organismos vivos evoluem gradualmente através da seleção natural.

Apesar dos sucessivos problemas de saúde que acometeram Darwin nos seus últimos anos de vida, ele continuou trabalhando avidamente. Passou a se dedicar aos aspectos mais controversos do seu "grande livro" que ainda estavam por ser completados: a evolução da espécie humana a partir de animais mais primitivos, o mecanismo de seleção sexual que poderia explicar características de não tão óbvia utilidade além de mera beleza decorativa, bem como sugestões para as possíveis causas subjacentes ao desenvolvimento da sociedade e das habilidades mentais humanas. Seus experimentos, pesquisa e escrita continuaram. Ainda em vida, Darwin obteve o reconhecimento de seu trabalho: muitas espécies de seres vivos e elementos geográficos foram batizados com seu nome, entre eles, o Monte Darwin, nos Andes.

Darwin morreu em Downe, na Inglaterra, em 19 de abril de 1882. Ele deveria ter sido enterrado no jardim da igreja de St. Mary em Downe, mas atendendo ao pedido de seus colegas cientistas, William Spottiswoode, presidente da Royal Society, cuidou para que ele tivesse um funeral de estado. Darwin foi enterrado na abadia de Westminster, próximo a Charles Lyell, William Herschel e Isaac Newton.

Opinião do Leitor

"Charles Darwin mudou para sempre o pensamento metafísico acerca dos sistemas vivos. Imprimiu através de sua Teoria da Evolução, provas irrefutáveis da evolução dos seres vivos. A ele, todo o reconhecimento como uma das maiores personagens da História humana!"

Cleoman Porto
Brasilia/DF

"gostei"

Pinto
Minas Gerais

"gostei muito "

davi
rio de janeiro

voltar ir para o topo   imprimir página
 

Home    Quem Somos    Notícias    Mapa do Site    Fale Conosco    Podcast L&PM

Rua Comendador Coruja, 314 - Fone: (51) 3225.5777 - Fax: (51) 3221.5380 - Porto Alegre/RS - CEP 90220-180
Alameda Santos, 1470, cj 310 - Cerqueira César - Fone: (11) 3578.6606 - São Paulo/SP - CEP 01418-903

© 2003-2020 Publibook Livros e Papeis Ltda. - CNPJ 87.932.463/0001-70 - Powered by CIS Manager   Desenvolvido por Construtiva